Homem discute com a ex-mulher e joga o próprio filho de 11 meses de janela de carro

Bebê foi resgatado por populares e passa bem.

0
21

BRASIL – Um homem de 40 anos foi preso em flagrante após jogar o filho, de 11 meses, pela janela do carro em movimento após discutir com a ex-mulher em Novo Hamburgo, Região Metropolitana de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. O caso ocorreu por volta de 21h desta quinta-feira, 22. As informações são do Terra.

O delegado regional Eduardo Hartz, explicou que o suspeito estava no carro com a ex-companheira e o filho de ambos, o bebê de 11 meses. Dentro do veículo, houve uma discussão entre os pais da criança e o homem arremessou o próprio filho pela janela.

“A mãe da criança ou desceu do carro em movimento ou foi jogada para fora. Isso não está bem claro ainda e será apurado. E depois disso, ela sofreu ainda um atropelamento ali pelo próprio carro e acabou se lesionando”, explicou a autoridade policial.

A criança foi socorrida por populares e levada a uma unidade de atendimento, onde passa bem. Já a mãe, que teve lesões mais graves, está internada no Centro de Terapia Intensiva (CTI) do Hospital Geral, mas está estável.

De acordo com o delegado, populares que estavam no local da ocorrência se revoltaram e agrediram o homem. Ele sofreu lesões e foi socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência.

O agressor foi preso em flagrante pelos crimes de tentativa de homicídio – em relação à criança – e por tentativa de feminicídio – em relação à mulher.

Segundo a autoridade policial, o homem já tinha histórico de violência doméstica contra a ex-mulher.

“No ano passado, houve uma ocorrência de lesão corporal. Foram decretadas as medidas protetivas e, em princípio, ele não chegou mais perto dela naquela oportunidade. Algum tempo depois, violando a medida protetiva, acabou invadindo a casa dela. Na oportunidade, ele foi preso e teve a preventiva decretada. Ele seguiu preso, até que houve uma certa reconciliação e ele foi posto em liberdade. Então, de lá pra cá, não tinha nenhuma medida protetiva vigente”, relatou Hartz.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui