Wilker Barreto critica contrato do governo que gerencia Hospital Delphina Aziz

0
73

O deputado sugeriu, ainda, o cancelamento do contrato da INDSH e que o Estado assuma as operações da unidade hospitalar da Zona Norte

Manaus – Em sessão ordinária híbrida da Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE) desta quinta-feira (27), o deputado estadual Wilker Barreto (Podemos) criticou o contrato firmado pelo Governo do Amazonas com o Instituto Nacional de Desenvolvimento Social e Humano (INDSH), organização social (OS) que gerencia o Hospital e Pronto-Socorro Delphina Abdel Aziz.

Em tom duro, o parlamentar afirmou que o modelo de gestão aplicado na unidade hospitalar é um exemplo claro do descaso com dinheiro público e uma frieza contra a sociedade amazonense, mediante irregularidades reveladas nas oitivas da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Saúde, na última quarta-feira (26).

“É estarrecedor esse contrato da OS no Delphina, é uma falta de zelo com a coisa pública. São R$ 150 milhões pagos de qualquer jeito e sem nenhuma fiscalização. O que mais me dói é ver um hospital como aquele e o povo pagando milhões e morrendo na porta dos hospitais. Isso é um crime, é uma roubalheira com R maiúsculo, é um assassinato contra o povo do Amazonas”, desabafou Wilker, frisando que o Executivo é o principal responsável pela falta de fiscalização na prestação de serviços, já que paga 100% pelo funcionamento total do Delphina, mas recebe apenas 70% dos serviços.

O deputado sugeriu, ainda, o cancelamento do contrato da INDSH e que o Estado assuma as operações da unidade hospitalar da Zona Norte.

“Faço um apelo ao Tribunal de Contas do Estado e ao Ministério Público para que possamos encerrar este contrato e que a Susam assuma o Delphina e coloque o hospital para funcionar. Hoje ninguém sabe para onde vai o dinheiro do contribuinte porque os números não vão para o Portal da Transparência, ou seja, eles não cumprem porque não querem que a sociedade tenha conhecimento da roubalheira que acontece no Delphina, com anuência do secretário da saúde e do governador”, disse o parlamentar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui