Senador Omar destaca investimentos em ciência e tecnologia para impulsionar desenvolvimento sustentável da Amazônia

Senador do Amazonas reforçou necessidade de investimentos para escalar negócios a partir da biodiversidade amazônica

0
129

AMAZONAS – A 5ª Conferência Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I) iniciou nesta quinta-feira (18) com a presença da ministra de Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), Luciana Santos. Durante o evento, foi apresentado detalhes sobre o ‘Plano Ennio Candotti Para o Desenvolvimento Sustentável da Amazônia’, com investimentos estratégicos no valor de mais de R$ 56 bilhões nos próximos quatro anos.

Presente na abertura da conferência, o senador Omar Aziz (PSD-AM) elogiou a iniciativa e destacou que o conhecimento é fundamental para o desenvolvimento sustentável da Amazônia.

“Temos hoje inúmeros produtos regionais que poderiam estar na prateleira dos consumidores e, por causa da Zona Franca, já teríamos muitos recursos para fomentar o CBA (Centro de Bioenegócios da Amazônia) e muitas dessas pesquisas. A Amazônia não depende de desmatamento para se desenvolver, o que vai gerar renda é o conhecimento na região. Temos vários institutos que estão tentando aos trancos e barrancos produzir algo que retorne para as comunidades”, pontuou Omar.

O plano apresentado pela ministra prevê uma distribuição mais equitativa de recursos, destinando 30% dos investimentos para projetos nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, com uma contrapartida financeira menor, compensando a realidade regional dessas áreas. Um dos destaques do plano é o aporte de R$ 3,4 bilhões até 2026 para a infraestrutura de pesquisa em inovação, segurança alimentar e outras ações na Amazônia. Todos os recursos devem ser provenientes do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT), que no governo passado sofreu com o corte de mais de R$ 10 bilhões.

Durante o evento, a ministra Luciana Santos destacou ainda a importância de construir uma estratégia de ciência e tecnologia duradoura, com uma contribuição ativa de pessoas que conhecem a realidade da Amazônia. “Nosso objetivo é construir a estratégia de ciência e tecnologia do País para os próximos dez anos. Estamos aqui na Escola Superior de Tecnologia (EST/UEA) justamente para receber as principais ideias e propostas para a região. Queremos ouvir as pessoas, propor recomendações para a elaboração dessa estratégia nacional, com participação coletiva”, salientou a ministra.

O maior aporte anunciado pela ministra na conferência, é a destinação de R$ 41 bilhões até 2026 para a indústria brasileira, por meio de créditos de subvenção econômica e instrumentos de estímulo à inovação das empresas. Outros R$ 8 bilhões serão investidos no mesmo período em seis projetos estruturantes em universidades e instituições de pesquisa em todo o País.

O reitor da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), André Zohahib, ressaltou o compromisso da instituição em fomentar a ciência e tecnologia, destacando o apoio fundamental da sociedade e do parlamento nesse processo. “O senador Omar tem sido um grande aliado dessa universidade e enquanto governador também fez muito pela UEA. Esse evento é uma retomada significativa do compromisso do desenvolvimento por meio da ciência e tecnologia, não só para a capital mas sobretudo para o interior do Amazonas”, afirmou o reitor.

Por sua vez, Priscila Duarte, diretora de Ciência e Tecnologia e Inovação da Associação Nacional de Pós-Graduandos (ANPG), enfatizou a importância de fortalecer os espaços de produção de ciência na região Norte e superar os desafios geográficos, principalmente para as populações tradicionais, levando em consideração também questões raciais e de gênero na região. Marilene Corrêa, membro da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), completou colocando a conferência como uma oportunidade para concentrar esforços nas soluções inovadoras para a Amazônia, sempre com um olhar soberano para as populações mais vulneráveis.

O desenvolvimento social também receberá um impulso significativo apontado pela ministra de Ciência, Tecnologia e Inovação, com um investimento adicional de R$ 4 bilhões em áreas prioritárias como saúde, defesa e transição energética. Adicionalmente, foi anunciado um edital de R$ 100 milhões voltado para incentivar a participação de mais meninas e mulheres na ciência. Além dos investimentos citados, a ministra relembrou a meta do Governo Federal em realizar a instalação de 40 mil quilômetros de fibra óptica em todo o País nos próximos anos, visando aprimorar a conectividade e facilitar o acesso à informação e à pesquisa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui