Manaus monta operação de ajuda humanitária e deve enviar 70 mil litros de água potável ao RS, diz prefeitura

Ação tem objetivo de auxiliar, principalmente, no abastecimento de água potável que, no momento, é uma das maiores necessidades das cidades afetadas no Rio Grande do Sul.

0
170

Manaus iniciou uma operação para enviar ajuda humanitária às famílias de Porto Alegre, capital do Rio Grande do Sul, que desde a última semana vem sofrendo com alagações. No total, serão enviados quase 70 mil litros de água potável, adquiridos por meio de parceria entre Casa Militar, Defesa Civil municipal e Secretaria Municipal de Segurança Pública e Defesa Social (Semseg).

O prefeito de Manaus, David Almeida, informou que a operação tem o intuito de auxiliar, principalmente, no abastecimento de água potável que, no momento, é uma das maiores necessidades na cidade.

“Fiz contato com o prefeito de Porto Alegre, Sebastião Melo, e perguntei qual era a necessidade dele, e ele explicou que a necessidade hoje, na cidade, é água potável. Estão com dificuldades, os reservatórios foram inundados e a água foi contaminada, então, nós fizemos aqui uma operação com a nossa Defesa Civil, com a concessionária de água da cidade de Manaus e essa parceria nos deu a oportunidade de conseguir 70 mil litros de água potável”, disse Almeida.

Segundo a Defesa Civil do município, responsável pela separação e acondicionamento das 13.500 garrafas de água de 2 litros, 2 mil galões de 20 litros de água e 500 caixas com 24 copos de 200 ml de água, o embarque e envio será imediato para Porto Alegre (RS), a partir da Força Aérea Brasileira, partindo da Base Aérea de Manaus.

“A água foi aferida e comprovada a sua eficácia. Então, nós estamos colocando galões de 20 litros, garrafões de 2 litros e copos de 300 ml, para que nós possamos dar essa condição para eles nos lugares mais distantes”, complementou o prefeito.

Governo do Amazonas também enviará apoio

 

O Governo do Amazonas também informou que vai enviar para o Rio Grande do Sul um carregamento de água potável produzida no estado, pela Companhia de Saneamento do Amazonas (Cosama). O envio da ajuda foi definida em conversa entre os governadores Wilson Lima e Eduardo Leite, na manhã desta terça-feira (7).

A Defesa Civil do Amazonas está coordenando o envio dos suprimentos, que serão transportados pela Força Área Brasileira (FAB), ainda esta semana, conforme o governo.

Além disso, 15 profissionais de saúde do Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas, entre médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, veterinários e dois especialistas em grandes desastres naturais da Defesa Civil, além de cinco veterinários voluntários, seguem a disposição para serem enviados ao estado a qualquer momento, conforme solicitação do governo gaúcho.

Desde que o Rio Grande do Sul decretou estado de emergência, o governador Wilson Lima colocou toda a estrutura do Governo do Amazonas a disposição de Eduardo Leite e o Corpo de Bombeiros e Defesa Civil local estão em contato direto com o Comitê de Crise instituído pelo governo daquele estado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui